terça-feira, 19 de outubro de 2010

Mangueiras da minha infância

Dentre as frutas daquele imenso quintal, que você leitor desse blog já conhece, a manga é uma das mais representativas. Havia várias mangueiras de manga coquinho, um pé de manga- espada que ainda resiste bravamente em meio às construções. Lembro bem, do lado de baixo da casa grande, tinha 3 ou 4 pés de manga-coquinho que a meninada atacava depois do almoço. A gente se esbaldava, ali, trepados mesmo no pé, pulando de um pé a outro, correndo o risco de esborrachar no chão. Mas isso nunca aconteceu!

No meio da algazarra, a turma lembrava a outra avó que recomendava não misturar nunca manga com leite: - manga com leite mata. Tem que dar um espaço de tempo, dizia ela. Mas a gente naquela época era mesmo imortal!


A manga (Mangifera indica L.) originada no sul e do sudeste asiáticos, o fruto da mangueira árvore da família Anacardiaceae é uma planta milenar. Veio para o Brasil trazida pelos portugueses que a disseminaram pelo mundo. É hoje largamente cultivada em praticamente todos os países tropicais e subtropicais, já que prefere regiões de clima quente, úmido com períodos secos. As mangas variam de tamanho, cor e forma, mas quase todas apresentam polpa suave, doce, suculenta e de sabor definido, algumas fibrosas outras não, conforme seu tipo, que são mais de mil variedades, dizem os especialistas.

A manga, considerada a rainha das frutas tropicais, além de ser uma fruta deliciosa para consumo in natura, pura ou acompanhada, também serve como ingredientes para molhos para carnes, saladas, conservas, mousses, gelatinas, geleias, sucos, refrescos, doces, marmeladas, compotas etc.

Excelente fonte de vitaminas A e C apresenta quantidades razoáveis de vitaminas do Complexo B e sais minerais como cálcio e fósforo, além de fibras dietéticas.

As propriedades medicinais da manga são inúmeras, como também sua variedade. Graças à grande quantidade de ferro a manga é indicada para tratamentos de anemia, benéfica para as mulheres grávidas e em períodos de menstruação e é um ótimo purificador do sangue, além de ser bom diurético, promovendo a regularidade intestinal.

Pesquisas recentes indicam a manga como um auxiliar no combate à diabetes, devido a alta presença da pectina, fibra solúvel que retarda a taxa de absorção da glicose. Nos problemas das vias respiratórias, como catarros, tosse e bronquite, uma porção de manga atua como expectorante.

Pessoas que sofrem de câimbras, stress e problemas cardíacos, podem se beneficiar das altas concentrações de potássio e magnésio que também auxiliam à quem sofre de acidose e outras doenças do estômago. Nesse caso é recomendada ingestão na parte da manhã. Atua também na recuperação de gengivites, feridas na boca e no canto dos lábios, escaras e úlceras varicosas.


Na Índia, onde a manga é a fruta nacional, acredita-se que as mangas estancam hemorragias, fortalecem o coração e trazem benefícios ao cérebro. A manga não é um fruto calórico, ao contrário do que pensam e pode ser ingerida por pessoas de qualquer idade.

Saborosa e nutritiva, nativa em quase todo o Brasil, é difícil nomear todas as suas variedades, mesmo porque todo dia surge uma nova qualidade, pela facilidade de miscigeração e hibridismo que possibilita.

Na minha infância me eram familiar as manga-coquinho e espada. Na adolescênia a manga-rosa e a coração de boi. Na vida adulta, a manga comprada em supermercado, a haden, tommy... que a minha mãe aprendeu a gostar.
Eu, meio puritana, fico ainda esperando as safras das mangueiras do quintal da minha infância, que às vezes, tem até bicho, mas são as melhores mangas do mundo.

Algumas características de algumas variedades de manga encontradas por aqui:


Manga-coquinho: de cor verde-amarelada, pequena e arredondada, muito doce e quase sem fibras, "para chupar sem frescura", como sugeriu a Giovanna Tucci do Paladar;
Manga-espada: mais esverdeada, fibrosa e doce. É boa para molhos e para ser desidratada.
Manga-haden: grande, de cor vermelho-amarelada, em forma de coração, doce e sem fibras, híbrida;
Manga-rosa: um pouco menor que a haden, de cor amarelo-rosada e polpa fibrosa, rústica e doce;
Manga-coração-de-boi: muito parecida com a manga-bourbon, tem forma de coração, grande, de cor amarelo-esverdeada e polpa sem fibras.



Volto com receitas dessa delícia da natureza!

3 comentários:

  1. Amiga, adoro seus textos! E adoro mangas também, apanhadas no pé, sujando o rosto todo, as mãos, os dedos, fazendo a maior lambança! Muito gostosa mesmo era a manga Maranhão, voce lembra dessa? Carnuda, redonda, tamanho médio para grande, de um cheiro delicioso. Abraços, Marília Utsch

    ResponderExcluir
  2. Oi Marília, esse nome não me lembro. Mas a lambança, com cereza sim. Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Ei Ros,
    Adoro a manga ubá! Na minha infância, meu primo comprava um saco bem grande delas e a gente ficava chupando sentados na escada que dava pro quintal. Isso lá em Viçosa, na casa de Vó elisa.
    Bjus procê
    June

    ResponderExcluir

palpite, comente, deixe sua receita, conte sua história: